Câncer de língua: as principais causas e sintomas da doença

A imagem mostra uma pessoa com a boca aberta mostrando a língua.

Você sabia que os tumores de boca são muito prevalentes em nossa população? E, dentre as partes da boca, a língua é um dos sítios de maior frequência.

Esse tipo de câncer pode atingir a parte superior ou a inferior da língua, mas as bordas laterais são a localização mais comuns. A região da base da língua é considerada como parte da orofaringe e não mais cavidade oral. Em todos os casos é indispensável a realização de diagnóstico e tratamento precoces, para reduzir os riscos de sequelas e melhorar o resultado oncológico do tratamento.

Preparamos este artigo para fazer um alerta sobre a importância de se conscientizar sobre o câncer de língua a fim de prevenir a sua manifestação. Continue lendo e veja, também, as principais causas e sintomas dessa doença para que você possa cuidar bem da sua saúde.

O que causa o câncer de língua?

Da mesma forma como acontece com outros tipos de câncer, os especialistas não podem indicar com certeza quais pessoas podem ou não desenvolver o câncer de língua. Mas existem fatores de risco que fazem com que as chances de um indivíduo vir a apresentar esta doença aumentem muito.

Outros cânceres da cavidade oral, da faringe e da laringe são favorecidos pelo tabagismo e isso também se dá com o câncer de língua. Assim, pessoas fumantes ou com histórico de tabagismo têm maiores chances de desenvolver esse tumor maligno.

O uso concomitante de álcool em grande quantidade também traz prejuízos à saúde e aumenta muito o risco de desenvolvimento de tumores nessas regiões.

O mesmo acontece com quem não realizam uma higienização oral adequada, já que essa condição leva ao acúmulo e proliferação de bactérias que desencadeiam inflamações e infecções nas mucosas da boca.

Por fim, vale citar o cuidado com os dentes e próteses dentárias que, quando não estão bem adaptadas e não passam por manutenção adequada, podem causar lesões crônicas que levam à formação de tumores.

As infecções por HPV estão mais relacionadas com o surgimento de lesões de orofaringe, não tendo sido provada cientificamente alterações em câncer de boca até o momento.

Quais são os sintomas do câncer de língua?

O câncer de língua está entre os tumores malignos mais comuns e, talvez, de maior facilidade para diagnosticar, tendo em vista serem visíveis a olho nu, sem necessidade exames complementares, na maior parte dos casos. Basta abrir a boca do paciente e examinar cuidadosamente que podemos observar lesões.

O auto-exame deve ser realizado periodicamente e, caso sejam encontradas lesões, o Cirurgião de Cabeça e Pescoço deve ser procurado para complementar a avaliação e determinar o diagnóstico.

Além disso, lesões na língua costumam apresentar alguns sintomas, veja abaixo os mais comuns:

  • Dor;
  • feridas que não cicatrizam;
  • mau hálito;
  • dormência na boca;
  • manchas avermelhadas ou esbranquiçadas;
  • dificuldade ou desconforto para mastigar e engolir;
  • formação de um nódulo ou caroço na língua;
  • sangramento na língua ao morder ou mastigar.

Pacientes com fatores de risco devem manter seguimento mais próximo com o Cirurgião de Cabeça e Pescoço, a fim de identificar precocemente lesões malignas ou pré-malignas que possam trazer transtornos à saúde.

O câncer de língua tem tratamento?

A boa notícia é que sim, o câncer de língua pode ser tratado e há possibilidade de cura, principalmente quando o identificamos em estágios mais precoces.

Quando existe a suspeita do tumor maligno a primeira medida é a realização de exames para confirmar o diagnóstico, além de identificar a extensão da doença.

O principal tratamento dos tumores de boca é feito através de cirurgia. Após este passo, a depender do estágio da doença e suas características, são adotados tratamentos complementares como radioterapia, quimioterapia, imunoterapia ou combinações dos mesmos.

Como você viu, o câncer de língua é favorecido principalmente por alguns hábitos, sendo o tabagismo, o alcoolismo, a falta de cuidados com os dentes e a não realização da higiene oral os mais relevantes. Portanto, procure fazer a prevenção mantendo hábitos saudáveis para garantir o equilíbrio da sua saúde bucal, evitando essa e outras doenças.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta