TIREOIDECTOMIA
TOTAL E PARCIAL

TIREOIDECTOMIA
TOTAL E PARCIAL

CIRURGIA

TIREOIDECTOMIA

TOTAL E PARCIAL

A Tireoidectomia é a intervenção cirúrgica mais comum executada pelo Cirurgião de Cabeça e Pescoço. É realizada para tratar problemas na tireoide, tais como nódulos, aumento exagerado na glândula, câncer e outros.

Ela pode ser feita de duas maneiras: parcial (retirada de parte da tireoide) ou total (quando a tireoide é retirada por completo), porém, o tipo de cirurgia dependerá da avaliação e decisão dos médicos, em conjunto com o paciente.

CIRURGIA

TIREOIDECTOMIA

TOTAL E PARCIAL

A Tireoidectomia é a intervenção cirúrgica mais comum executada pelo Cirurgião de Cabeça e Pescoço. É realizada para tratar problemas na tireoide, tais como nódulos, aumento exagerado na glândula, câncer e outros.

Ela pode ser feita de duas maneiras: parcial (retirada de parte da tireoide) ou total (quando a tireoide é retirada por completo), porém, o tipo de cirurgia dependerá da avaliação e decisão dos médicos, em conjunto com o paciente.

    Quando é indicada a tireoidectomia?

    A cirurgia de tireoide, geralmente, é indicada quando:

    • Casos suspeitos ou confirmados de câncer de tireoide
    • Aumento de volume da tireoide, com compressão das estruturas do pescoço ou descida para o tórax
    • Hipertireoidismo sem possibilidade de tratamento clínico
    • Queixas estéticas, por parte do paciente

    Pré-operatório da tireoidectomia

    Antes da cirurgia de tireoide, é necessário que o paciente esteja em jejum por 8 horas.

    Caso o paciente esteja utilizando medicamentos como AAS ou outros anticoagulantes, deve haver avaliação dos riscos e programação de suspender o uso destas medicações alguns dias antes do procedimento, uma vez que o uso destes remédios poderá aumentar os riscos de sangramento na cirurgia e também no pós-operatório.

    Conversem sempre com seu médico sobre estas questões.

    Quando é indicada a tireoidectomia?

    A cirurgia de tireoide, geralmente, é indicada quando:

    • Casos suspeitos ou confirmados de câncer de tireoide
    • Aumento de volume da tireoide, com compressão das estruturas do pescoço ou descida para o tórax
    • Hipertireoidismo sem possibilidade de tratamento clínico
    • Queixas estéticas, por parte do paciente

    Pré-operatório da tireoidectomia

    Antes da cirurgia de tireoide, é necessário que o paciente esteja em jejum por 8 horas.

    Caso o paciente esteja utilizando medicamentos como AAS ou outros anticoagulantes, deve haver avaliação dos riscos e programação de suspender o uso destas medicações alguns dias antes do procedimento, uma vez que o uso destes remédios poderá aumentar os riscos de sangramento na cirurgia e também no pós-operatório.

    Conversem sempre com seu médico sobre estas questões.

    Pós-operatório da tireoidectomia

    A recuperação pós operatória de cirurgias de tireoide é, em geral, bem tolerada pelos pacientes. A maioria dos pacientes costuma ficar internada por apenas 1 dia após o procedimento, tendo alta no dia seguinte, quando tudo corre bem.

    O repouso indicado é de aproximadamente 15 dias, período no qual as atividades leves são permitidas, mas as atividades mais intensas, como carregar peso, dirigir e fazer esforços físicos são contraindicados pelo risco de abertura dos pontos e sangramentos cervicais, que são potencialmente graves.

    Os pacientes referem dores leves na região cervical nos primeiros dias, principalmente quando engolem ou movimentam muito o pescoço. Este incômodo se dá por conta do corte e da manipulação interna durante a cirurgia, porém estes sintomas são bem controlados com uso de medicações analgésicas.

    A recuperação pós operatória de cirurgias de tireoide é, em geral, bem tolerada pelos pacientes. A maioria dos pacientes costuma ficar internada por apenas 1 dia após o procedimento, tendo alta no dia seguinte, quando tudo corre bem.

    O repouso indicado é de aproximadamente 15 dias, período no qual as atividades leves são permitidas, mas as atividades mais intensas, como carregar peso, dirigir e fazer esforços físicos são contraindicados pelo risco de abertura dos pontos e sangramentos cervicais, que são potencialmente graves.

    Os pacientes referem dores leves na região cervical nos primeiros dias, principalmente quando engolem ou movimentam muito o pescoço. Este incômodo se dá por conta do corte e da manipulação interna durante a cirurgia, porém estes sintomas são bem controlados com uso de medicações analgésicas.

    Podem surgir, também, episódios de tosse e irritação na garganta, causados pela intubação durante a anestesia geral e pela manipulação da traqueia.

    Não há restrições específicas para alimentação. Por conta do desconforto inicial para engolir e de uma certa sonolência por causa dos efeitos da anestesia, nas primeiras 24 horas após a cirurgia, é orientada dieta leve. Mas passado esse período, a alimentação volta a ser normal.

    Existem diferentes tipos de curativo, sendo que a orientação dada pelo cirurgião deve ser seguida pelo paciente. Em nossa equipe, utilizamos curativos impermeáveis e estes devem ser mantidos por aproximadamente 1 semana, sendo retirado pelo próprio médico no retorno ambulatorial. O intuito do curativo é evitar contato da cicatriz, ainda em formação, com sujeira e infecções que podem vir do ambiente.

    Podem surgir, também, episódios de tosse e irritação na garganta, causados pela intubação durante a anestesia geral e pela manipulação da traqueia.

    Não há restrições específicas para alimentação. Por conta do desconforto inicial para engolir e de uma certa sonolência por causa dos efeitos da anestesia, nas primeiras 24 horas após a cirurgia, é orientada dieta leve. Mas passado esse período, a alimentação volta a ser normal.

    Existem diferentes tipos de curativo, sendo que a orientação dada pelo cirurgião deve ser seguida pelo paciente. Em nossa equipe, utilizamos curativos impermeáveis e estes devem ser mantidos por aproximadamente 1 semana, sendo retirado pelo próprio médico no retorno ambulatorial. O intuito do curativo é evitar contato da cicatriz, ainda em formação, com sujeira e infecções que podem vir do ambiente.

    dr arthur vicentini assinatura

    Por Dr. Arthur Vicentini
    da Costa Luiz.

    CRM-SP 154086

    Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

    faixa-dr-arthur-300x2-300x2

    Por Dr. Arthur Vicentini
    da Costa Luiz.

    CRM-SP 154086

    Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

    faixa-dr-arthur-300x2-300x2

    AGENDE SUA CONSULTA ONLINE

    Cirurgia de Cabeça e Pescoço

    Caros pacientes, em função da Pandemia do Coronavírus (Covid-19), o Conselho federal de Medicina (CFM) autorizou o uso de tecnologia para consultas à distância (Telemedicina), enquanto durar este momento de isolamento social.

    Por esta razão, gostaria de informar que realizaremos, temporariamente, atendimentos por plataformas digitais (Skype ou similares) aos pacientes.

    Os agendamentos poderão ser feitos normalmente pelo sistema, por telefone ou pelo Whatsapp.

    Em caso de necessidade, agendaremos consultas presenciais.

    Saiba mais, clicando aqui.

    Telefone: (11) 3230-2987

    × Agende sua Consulta