Início » Tumores de boca: quais são os principais e como diagnosticar

Dr. Arthur Vicentini
Cv Lattes   GoogleMyCitations
CRM: 15.4086

Tumores de boca: quais são os principais e como diagnosticar

Os tumores de boca mais frequentes são os carcinomas de células escamosas, ou carcinoma espinocelular.

O tumor possui esse nome porque está relacionado com as células escamosas que fazem parte do revestimento da camada interna da boca.

Os tumores de boca estão relacionados, principalmente, com o uso de cigarro, consumo exagerado de bebida, determinados alimentos ou com traumas repetidos.

Essa inflamação leva à alteração do DNA, o que a gente chama de mutações, podendo causar o aumento de proliferação das células.

Na maioria dos casos, o sistema imunológico consegue reconhecer essas células e destruí-las sem trazer nenhuma repercussão para a nossa vida. Porém, em outras situações, algumas dessas células conseguem fugir do mecanismo de defesa e se proliferarem, surgindo o câncer.

Como diagnosticar o câncer de boca

A forma mais fácil de diagnosticar é fazendo o autoexame da cavidade oral. Mesmo sem sintomas, é bom uma vez por mês ou a cada quarenta e cinco dias fazer um autoexame da cavidade oral.

Portanto, após escovar os dentes e fazer uma boa higienização na boca, olhe a região da gengiva, em volta dos dentes, na bochecha por dentro, a parte de cima da língua, nas bordas laterais, no soalho e encoste a língua no céu da boca. Veja se tem alguma ferida, alguma área com uma lesão mais avermelhada com sangramento ou uma lesão esbranquiçada, isso também pode acontecer.

Sintomas do câncer de boca

Os sintomas mais comuns que estão relacionados com o câncer de boca são:

  • Dor;
  • Sangramento;
  • Feridas que não cicatrizam;
  • Retrações;
  • Dificuldade para movimentar a língua;
  • Amolecimento dos dentes.

Portanto, se surgir algum desses sintomas, procure o seu Cirurgião de Cabeça e Pescoço para fazer uma avaliação mais detalhada e, com isso, indicar um tratamento adequado no tempo mais curto possível diminuindo as chances de sequelas.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 4 =

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta