Câncer de cabeça e pescoço: entenda porque a incidência é maior em homens

Ao fundo da imagem há um médico segurando um laço verde.

Embora o câncer seja uma doença que pode se manifestar em pessoas de ambos os sexos e qualquer idade, existem alguns tipos da doença que são mais comuns em uma determinada população. Isso é o que acontece, por exemplo, com o câncer de mama, cuja incidência é muito maior entre as mulheres.

Falando especificamente dos tumores de vias aéreas e digestivas superiores, o subtipo mais frequente é o carcinoma espinocelular ou carcinoma de células escamosas. Estes são muito mais frequentes em indivíduos masculinos, sendo uma proporção de dois homens para cada duas mulheres. Mas você sabe o porquê dessa maior propensão?

Para responder essa pergunta preparamos este artigo explicando quais são os fatores que favorecem a formação do câncer de cabeça e pescoço e de que maneira eles se relacionam com os homens. Continue lendo!

O que é o câncer de cabeça e pescoço

Antes de explicarmos por que o câncer de cabeça e pescoço é mais recorrente entre os homens, é interessante que você saiba o que é essa doença. Na verdade, não se trata de apenas um problema, mas diversos tipos de tumores malignos que afetam essa região. Sendo assim, envolve:

  • Câncer de boca;
  • Câncer de laringe e faringe;
  • Câncer de pele;
  • Câncer de tireoide;
  • Câncer das glândulas salivares.

Os tumores também podem se desenvolver em outras estruturas, como nervos, músculos, seios paranasais e nariz. Portanto, esse problema envolve várias condições diferentes e provocadas por fatores distintos.

Por que o câncer de cabeça e pescoço atinge mais os homens?

Conforme explicamos, a incidência de câncer de cabeça e pescoço entre os homens é maior que nas mulheres. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), são registrados a cada ano 43 mil novos casos apenas no Brasil, afinal, diversos tipos de tumor estão inclusos nesse grupo, como você viu no item anterior.

A maior incidência entre os homens se explica em função dos hábitos comumente adotados por eles. Isso porque, os cânceres que se desenvolvem, por exemplo, na boca e na garganta estão muito relacionados ao consumo de bebidas alcoólicas e ao tabagismo, principalmente quando consumidos de forma concomitante.

Portanto, os homens se enquadram no grupo de risco em função desses hábitos sociais que adotam. Além disso, é mais comum que eles negligenciam o cuidado com a saúde. Com isso, não fazem um acompanhamento médico adequado, dificultando identificar sinais de alerta do câncer.

Assim, existe a associação dos hábitos nocivos com a dificuldade em adotar medidas preventivas e identificar problemas de forma precoce. Mas isso não significa que o câncer de cabeça e pescoço não cause preocupação também com a população feminina.

O câncer de tireoide é mais comum em mulheres

Na visão geral, o câncer de cabeça e pescoço ocorre com mais frequência em homens. Porém, no que se refere aos tumores que se desenvolvem na tireoide temos um quadro inverso, com incidência maior entre o público feminino.

Também devemos levar em consideração que os hábitos das mulheres vêm se modificando com o passar do tempo. Hoje há maior consumo de bebidas alcoólicas e de cigarro por parte delas, o que acende o sinal de alerta para a necessidade de adotar medidas preventivas.

O câncer de pele é comum para ambos os sexos

Os tumores de pele da região de cabeça e pescoço são muito frequentes, por serem estas áreas de grande incidência solar. Homens e mulheres são bastante afetados, porém fatores como calvície, maior exposição solar durante o trabalho e menores cuidados com a saúde fazem com que os homens possam ter maiores taxas de câncer de pele e couro cabeludo.

É importante saber que essa doença também se manifesta no rosto, nos lábios e no couro cabeludo, sendo que o seu tipo não melanoma é o mais frequente no Brasil, correspondendo a 30% de todos os casos registrados. Ou seja, passa à frente até mesmo do câncer de mama e de próstata.

É válido ressaltar que o câncer de cabeça e pescoço tem cura, sendo que o prognóstico é melhor quando a doença é identificada de forma precoce. Sendo assim, fique atento a sinais de alerta como feridas que não cicatrizam, dificuldade para engolir, rouquidão, dor, formação de nódulos e lesões na pele. Procure a ajuda de um Cirurgião de Cabeça e Pescoço sempre que tiver dúvidas.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta