Início » Glândulas Salivares: qual a sua função?


Dr. Arthur Vicentini
Cv Lattes   GoogleMyCitations
CRM: 15.4086
 

Glândulas Salivares: qual a sua função?

A imagem mostra uma ilustração da cabeça de uma mulher, de lado, e as glândulas salivares em destaque.

Você já deve ter ouvido falar que a digestão dos alimentos começa na boca. Essa afirmação é feita porque a saliva tem um papel fundamental no processamento dos alimentos. As glândulas salivares são as responsáveis pela produção e liberação do fluxo salivar na cavidade oral.

Os seres humanos, assim como outros animais, têm órgãos chamados de glândulas salivares, que se localizam no início do trato digestivo. Existem três pares de glândulas salivares maiores:

– Glândulas parótidas: são as maiores, localizadas à frente do pavilhão auricular, sendo responsáveis pela produção de grande parte da saliva que necessitamos. Apresenta linfonodos em seu interior e tem íntima relação com o nervo facial, responsável pela movimentação dos músculos da face;

– Glândulas submandibulares: encontram-se abaixo da mandíbula, com uma porção superficial e uma profunda ao músculo milo-hióideo, apresentando um canal único de drenagem da saliva para a boca (assim como acontece na parótida);

– Glândulas sublinguais: localizadas logo embaixo da língua, também encontrada aos pares (assim como parótidas e submandibulares, compondo com estas o grupo de glândulas salivares maiores). Produz saliva em menor quantidade que as demais, mas apresenta importante função no início do processo digestivo. Difere das anteriores pois apresenta múltiplos ductos salivares que drenam a saliva para o soalho da boca;

– Glândulas salivares menores: distribuídas abaixo da mucosa da boca e faringe, principalmente pelo palato, região interna da bochecha, soalho e faringe, complementam a função de produção de saliva, sendo importantes na lubrificação do bolo alimentar, auxiliando na mastigação e na deglutição.

Funções das Glândulas Salivares

As glândulas salivares são estruturas responsáveis por produzir e secretar a saliva. Fazem isso a todo momento, mantendo a umidade da cavidade oral. Também liberam esse fluxo quando há estímulos (visuais, auditivos, de memória) e enquanto nos alimentamos, para dar início ao processo digestivo.

A saliva tem mais de uma função no organismo humano. Ela mantém as mucosas do trato aerodigestivo alto hidratadas, garantindo sua vitalidade e proteção. Tem ação direta no processo contínuo de mineralização e desmineralização dos dentes, então, também influencia a saúde deles.

Quando mantemos um bom fluxo salivar garantimos, ainda, uma higienização natural da boca. E não podemos esquecer que quando ela está devidamente equilibrada tem a função de manter a estabilidade do pH bucal, prevenindo problemas como cáries e erosão dentária.

Além de tudo isso, explicamos que a saliva contribui com o processo de digestão dos alimentos. Apresenta uma série de enzimas que iniciam, ainda na boca, o processo químico da digestão. A principal delas é a ptialina ou amilase salivar, responsável pela digestão do amido. Existem outras enzimas na saliva, assim como grande quantidade de sais minerais, sendo o mais abundante o cálcio.

Quais problemas podem afetar as glândulas salivares?

Todas as glândulas salivares podem desenvolver doenças. Um dos problemas mais comuns são os cálculos, pequenas pedras que se formam nessas estruturas em função do acúmulo de minerais. Esse problema é chamado de sialolitíase.

Quando há um desequilíbrio na composição da saliva, ou o seu fluxo é prejudicado pela desidratação, por exemplo, as partículas minerais se agregam dando origem a pequenas pedras, que podem obstruir o ducto salivar e impedir que a saliva seja secretada para a boca.

Como consequência da obstrução, a glândula salivar pode ficar inflamada, quadro que também é desencadeado por infecção por vírus ou bactérias (chamado de sialoadenite). Além da sialolitíase, essa estrutura podem ser prejudicada por doenças auto-imunes, como na Síndrome de Sjögren, um distúrbio do sistema imunológico que provoca boca seca e inchaço nas glândulas salivares.

Podemos, ainda, notar o surgimento de nódulos nas glândulas salivares, que precisam ser avaliados adequadamente para determinar sua natureza e a necessidade de tratamento específico.

Para garantir que elas se mantenham sempre saudáveis o ideal é adotarmos bons hábitos, mantendo uma alimentação balanceada, evitando o tabaco, cuidando da higiene oral e ingerindo bastante água. Afinal, esse é o ingrediente principal utilizado por elas para produção da saliva.

As glândulas salivares são responsáveis por produzir saliva, garantindo a saúde da cavidade oral e, de forma indireta, uma boa digestão dos alimentos. Por isso, se você perceber qualquer alteração nessas estruturas ou algum incômodo, procure um Cirurgião de Cabeça e Pescoço para ser avaliado por um especialista.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta