Dr. Arthur Vicentini

Glândulas parótidas: por que incham?

Atualizado em 08/10/2021
Tempo de leitura: 4 min.
Ao Fundo Da Imagem, Há O Rosto De Uma Mulher Quase Transparente Com As Glândulas Parótidas Em Destaque.
Glândulas Parótidas: Por Que Incham? 2

As glândulas salivares, como o nome sugere, têm a função de produzir saliva. Temos três pares de glândulas salivares maiores e uma grande quantidade de glândulas menores, distribuídas pela boca e faringe. Entre as maiores, temos as glândulas parótidas, que se localizam logo à frente do ouvido, o que dá origem ao seu nome.

Em conjunto com as outras, as parótidas são fundamentais para garantir um bom fluxo de saliva, que mantém a lubrificação da mucosa bucal e favorece a digestão dos alimentos. Mas elas também podem ser acometidas por doenças, causando alterações, tais como edema (inchaço).

Quadros como esses exigem atenção porque, ao mesmo tempo em que podem ser passageiros, existe a possibilidade de indicarem uma doença mais grave. Neste artigo listamos algumas das doenças que podem ocorrer nas glândulas parótidas.

Continue lendo e veja quais são elas!

Infecções

As infecções nas glândulas parótidas são bastante frequentes e podem ocorrer por causas virais e bacterianas. A Caxumba, por exemplo, é uma infecção viral muito comum e que ocorre principalmente em indivíduos jovens. As taxas de caxumba têm diminuído ao longo do tempo por conta da vacinação, mas ainda ocorrem surtos em algumas épocas.

Infecções por bactérias e outros microorganismos também podem acontecer, mas são menos comuns e costumam estar associadas a outras condições.

Pacientes com doenças graves, internados por longo período, submetidos a cirurgias de grande porte e com deficiências do sistema imunológico são mais propensos a essas infecções. Obstruções dos ductos salivares por estreitamento (estenoses) ou por cálculos (sialolitíase), que levam a dificuldade de fluxo do fluxo da saliva e acúmulo desta dentro da glândula.

Infecções como HIV e tuberculose das glândulas salivares também podem ocorrer, causando inchados dessas glândulas.

Existem diversos fatores de risco e grupos populacionais relacionados, tais como indivíduos entre 50 e 60 anos, pacientes com doenças reumatológicas (Síndrome de Sjögren, por exemplo), pacientes pós radioterapia ou tratamento com iodo radioativo e má higiene oral.

Como complicações das infecções, podemos ter formação de abscessos, com saída de pus pelo ducto salivar, além de dor, sensibilidade ao toque e vermelhidão da região da glândula.

Sialolitíase

Sialolitiase é o termo técnico que utilizamos para nos referirmos à formação de pedras (cálculos) nas glândulas salivares, da mesma forma como pode acontecer nos rins, vesícula e outras partes do corpo. Esses cálculos se formam por acúmulo dos sais minerais contidos na saliva.

Quando eles estão em excesso no organismo, se há um quadro de desidratação, dificuldade de drenagem da saliva para a boca ou o indivíduo faz uso de medicamentos que reduzem o fluxo salivar, há maior suscetibilidade para a formação dos cálculos. Eles obstruem a passagem dos ductos salivares fazendo com que a saliva possa ficar retida, causando inchaço na glândula, que pode inflamar e sofrer infecções por bactérias. 

Quadros como esses têm os sintomas intensificadas logo após as refeições, principalmente quando ocorre ingestão de alimentos ou bebidas que estimulam a produção e liberação de saliva: como ela não tem para onde ir, fica acumulada e provoca o inchaço, que pode diminuir depois de algumas horas.

Sialoadenite

Esse é um quadro de inflamação que afeta as glândulas salivares e podem cursar com infecções associadas (tanto por vírus como por bactérias). Além do inchaço, surge dor e vermelhidão no local afetado. É possível que o inchaço seja semelhante a um quadro de caxumba.

Qualquer pessoa pode desenvolver essa inflamação, porém, ela costuma ser mais comum em indivíduos que estejam desidratados, pessoas que sofrem com doenças crônicas e idosos, que costumam apresentar quadros de xerostomia (alterações na produção ou qualidade da saliva).

Há casos em que a sialoadenite regride sozinha, sem nenhum tipo de tratamento. Porém, ainda assim é importante consultar um especialista, pois dependendo da causa da inflamação ela pode se repetir, evoluir e se tornar mais grave, com sistemas sistêmicos (que acometem todo o organismo), tais como calafrios, febre e outros.

Algumas doenças

Inflamações das glândulas salivares podem ser decorrentes de doenças de outras partes do organismo ou da própria região. Causas comuns de edema na parótida são, além dos já citados:

● Infecções amigdalianas;
● Infecções dentárias;
● Síndrome de Sjögren;
● Diabetes;
● Bulimia;
● Sarcoidose;
● AIDS;
● outros.

É válido lembrar que, nesses casos, além da manifestação do inchaço também podem ser percebidos outros sintomas que são característicos de cada uma dessas doenças, devendo o médico especialista ser consultado, para investigação complementar e diagnóstico correto, antes do início do tratamento.

Tumores

As glândulas parótidas também podem ser acometidas por tumores, tanto benignos como malignos. Os tumores benignos são mais frequentes (80% dos casos), sendo a história clínica e os sintomas do paciente, além do exame físico, essenciais para a suspeita diagnóstica.

A glândula tem o seu tamanho alterado por causa do crescimento dessas neoplasias, que também podem causar a obstrução do ducto salivar, em certos casos.

Embora somente um especialista possa identificar se um tumor é maligno ou não, as características dele ajudam nesse sentido.

Os tumores benignos apresentam-se mais móveis, enquanto os malignos podem apresentar aderências à pele ou a outras estruturas profundas, infiltração da pele, dor, vermelhidão localizada e paralisia da face (quando ocorre infiltração do nervo facial pelo tumor)

  • Veja também: Tumores das Glândulas Salivares.
  • Se você perceber inchaço em suas glândulas parótidas ou na face, notar alterações em seu fluxo salivar e manifestações dolorosas é muito importante procurar um Cirurgião de Cabeça e Pescoço. Desse modo ele poderá investigar o seu quadro e observar o que está causando esses desconfortos, a fim de indicar o melhor tratamento. 

    Dr Arthur Vicentini | Dr. Arthur Vicentini CRM 154.086
    Dr. Arthur Vicentini da Costa Luiz
    CRM-SP 15.4086
    Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço.
    + Saiba mais

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    vinte − cinco =

     | 16 / 09 / 21
    Temos três pares de glândulas maiores e uma série de outras glândulas menores, sendo possível o aparecimento de nódulo em qualquer uma delas. Confira!
    Ler Mais
     | 27 / 05 / 21
    As doenças das glândulas salivares são umas das mais frequentes. Saiba quais são os sintomas dessas doenças e os cuidados na cirurgia.
    Ler Mais
    1 2 3 9
    hello world!
    Atenção: O site  www.arthurvicentini.com.br  visa melhorar o acesso aos pacientes à informação de qualidade sobre sua saúde, porém nada substitui uma avaliação completa, durante consulta médica e diagnóstico adequados.
    Direitos Reservados 2021 Dr. Arthur Vicentini – CRM 154086 | Desenvolvido por Surya MKT
    magnifiercross