Dr. Arthur Vicentini

Tumores de glândulas salivares: sintomas, diagnóstico e tratamento

Atualizado em: 16/11/2021
Tempo de leitura: 4 minutos
Sumário
Acompanhe no youtube
icon metro youtube arthur vicentiniinscreva-se
A Imagem Mostra Uma Ilustração Digital De Um Humano, Ele Está De Lado E Há Um Destaque Em Vermelho Para As Glândulas Salivares.
Tumores De Glândulas Salivares: Sintomas, Diagnóstico E Tratamento

As glândulas salivares, assim como todos os outros tecidos e órgãos do corpo humano, podem apresentar crescimento de tumores. Eles precisam ser identificados e devidamente tratados para impedir problemas maiores, tais como redução de função, sequelas e disseminação.

No entanto, é importante saber que nem sempre esses tumores são malignos. As glândulas salivares também desenvolvem nódulos ou tumores benignos, entretanto, em ambos os casos é preciso buscar orientação especializada do Cirurgião de Cabeça e Pescoço para não haver complicações maiores.

Preparamos este artigo para falar um pouco mais sobre esse assunto, apresentando para você os principais sintomas dos tumores nas glândulas salivares, para que você saiba quando procurar um médico a fim de obter um diagnóstico preciso. Veja, também, quais são as opções de tratamento para esses problemas.

Sintomas dos tumores nas glândulas salivares

Quando falamos em tumores, a primeira coisa que vêm à mente das pessoas são os malignos, conhecidos como câncer. No entanto, para os médicos, qualquer lesão que cresça e ocupe espaço é considerada um tumor. Aqueles com características específicas como invasão e disseminação são considerados malignos, porém, nem todos apresentam estes critérios, sendo considerados benignos.

Em razão do seu tamanho diminuto, em fase inicial os tumores, sejam eles benignos ou malignos, se mostram como assintomáticos. Assim, não causam desconfortos para o paciente e também não são aparentes, já que ainda não têm um volume suficiente para serem apalpados ou visualizados.

Entretanto, conforme o tempo passa e eles aumentam de tamanho, começam a surgir os primeiros sinais e sintomas. O principal deles é a identificação de uma massa (algo como um pequeno caroço) que pode estar localizada embaixo da língua, na parte interna das bochechas ou até mesmo visível na face.

O indivíduo também pode perceber um inchaço localizado na região da bochecha, próximo à orelha, no interior da boca, na mandíbula ou mesmo no pescoço. Dependendo do tamanho ou da posição do tumor, existe ainda a dificuldade para mastigar e engolir.

Já no caso dos tumores malignos, o câncer, como ele pode invadir tecidos adjacentes, existe a possibilidade de afetar estruturas nobres, como os nervos. Um dos principais que pode ser acometido é o nervo facial, que passa dentro da glândula parótida e promove a contração da musculatura da face. Quando acometido, este nervo pode levar a paralisia facial.

Outros sintomas relacionados com tumores malignos são dor, queimação local, invasão e vermelhidão da pele, extravasamento de líquidos e etc.

Diagnóstico dos tumores nas glândulas salivares

Conforme você viu, os sintomas dos tumores nas glândulas salivares, sejam eles benignos ou malignos, podem ser semelhantes. Por isso, se você perceber qualquer alteração em sua face ou a presença de um caroço, deve procurar imediatamente ajuda médica especializada. Somente um profissional, por meio de avaliação completa e exames mais aprofundados, pode dar um diagnóstico preciso, bem como programar o tratamento.

Além do exame clínico para eliminar outros problemas, o especialista solicitará exames de imagem a fim de verificar o volume desse nódulo, sua posição exata, características, entre outros detalhes. Geralmente é solicitada uma ultrassonografia, mas o especialista também pode pedir uma tomografia ou uma ressonância magnética, para obter mais detalhes.

Se houver a suspeita de que o tumor é maligno, ou se os exames de imagem não forem suficientes para estabelecer o diagnóstico, será necessário fazer uma biópsia, o que geralmente é feito através de uma agulha fina, procedimento conhecido como Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF). O procedimento consiste em coletar células através da agulha e observá-las ao microscópio para identificar a origem do tumor.

Além de apontar a malignidade ou não do nódulo, a biópsia também ajuda a identificar qual é o tipo de tumor que se formou. Afinal, existe uma grande diversidade deles, então, fica mais fácil definir exatamente o que ele é para proceder com o devido tratamento.

Tratamento dos tumores nas glândulas salivares

Os tumores das glândulas salivares têm como principal tratamento a ressecção cirúrgica. Isso porque é preciso fazer a remoção desse nódulo para evitar que ele continue crescendo ou se espalhando.

Quando é identificada a malignidade, somente a cirurgia pode não ser suficiente. Nesses casos, o protocolo é adotado de acordo com a necessidade do paciente e em função das características de cada caso. A cirurgia pode ser seguida, por exemplo, de radioterapia, quimioterapia, imunoterapia ou combinações desses métodos.

No caso da quimioterapia, ela é indicada para poucos casos, porque geralmente os resultados esperados não são os mais positivos. É válido lembrar que raramente os tumores benignos se transformam em malignos, mas isso pode acontecer, principalmente se o paciente conviver com o nódulo por muitos anos.

Confira também, nosso vídeo sobre o tema:

Caso você perceba a presença de um nódulo ou caroço em sua boca, face ou pescoço, procure um especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

Acompanhe no youtube
icon metro youtube arthur vicentiniinscreva-se

Dr. Arthur Vicentini da Costa Luiz

CRM-SP 154.086
Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Traqueostomia: Quando é necessário trocar a cânula?

Descubra tudo sobre a traqueostomia, desde suas indicações para facilitar a respiração até a importância vital da troca periódica da cânula para evitar complicações respiratórias sérias.
Saiba Mais

O que é traqueostomia: como funciona o sistema respiratório após o procedimento?

Descubra o que é a traqueostomia, quando é necessária e como o sistema respiratório funciona após o procedimento. Clique aqui e saiba mais!
Saiba Mais

Entenda a importância da Nasofibrolaringoscopia

Entenda a nasofibrolaringoscopia: o que é, como é realizada e suas principais indicações na prática médica diária. Descubra sua importância para diagnósticos precisos.
Saiba Mais
Atenção: O site  www.arthurvicentini.com.br  visa melhorar o acesso aos pacientes à informação de qualidade sobre sua saúde, porém nada substitui uma avaliação completa, durante consulta médica e diagnóstico adequados.

Dr. Arthur Vicentini da Costa Luiz – CRM 154.086 | Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Todos os direitos reservados © 2024
Atualizado em: 
18:17 | 04/07/2024
magnifiercross