Como é o pós-operatório da cirurgia das glândulas salivares?

Temos diversas glândulas salivares distribuídas em diferentes regiões da boca e da faringe. As principais são as parótidas, submandibulares e sublinguais, mas existem as menores, distribuídas pela região citada.  Elas são fundamentais para o processo digestivo, que se inicia ainda na cavidade oral. Essas glândulas, assim como todos os outros órgãos do nosso corpo, pode sofrer com doenças e outras alterações.

Uma das alterações mais frequentes é o surgimento de nódulos. Em sua maioria, os nódulos de glândulas salivares são benignos, podendo apresentar componente maligno em alguns casos. Após a investigação inicial, mesmo os nódulos benignos costumam ser submetidos a tratamento cirúrgico, que cursa com a retirada do mesmo, remoção parcial ou até ressecção total da glândula salivar, a depender de cada situação.

Como em outros procedimentos operatórios, tanto a preparação antes da cirurgia quanto cuidados pós-operatórios são essenciais para o bom desfecho e recuperação do paciente, e é sobre isso que falaremos neste artigo. 

Continue lendo para saber mais detalhes sobre o pós-operatório da cirurgia de glândulas salivares, a fim de conhecer os cuidados necessários e também algumas reações que já são esperadas em função das características do procedimento.

 

O que acontece após a cirurgia de glândulas salivares 

A cirurgia de glândulas salivares, conforme explicamos, costuma ser realizada principalmente no tratamento de nódulos benignos ou malignos, com o intuito de realizar a ressecção destes. A extensão do procedimento varia de acordo com a necessidade de cada paciente.

Entretanto, por se tratar de uma cirurgia, ela deve ser realizada em ambiente hospitalar com o paciente sob anestesia geral. Cirurgias com anestesia local podem ocorrer, em caráter de exceção. Por isso, após o procedimento o paciente poderá experimentar algumas reações decorrentes da anestesia, mas que costumam ser leves e bem controladas com as medicações sintomáticas prescritas:

  • náuseas;
  • dor de cabeça;
  • dificuldade para engolir;
  • tontura

Outras reações também podem se manifestar, mas tudo isso depende muito do organismo de cada pessoa e da sua sensibilidade.

Quanto ao procedimento em si, alguns cuidados no intra-operatório são importantes, como por exemplo, a identificação de nervos responsáveis pela movimentação e sensibilidade de estruturas da região da cabeça e do pescoço, bem como sua preservação nos casos em que não há acometimento desses nervos pelo tumor.

São comuns, a depender da glândula acometida e da extensão cirúrgica, pequenas alterações de movimentação de músculos da face, alterações de sensibilidade (como leve formigamento ou sensação de anestesia da região operada).

Porém, com o passar dos dias e conforme o organismo se recupera essa paralisia ameniza gradativamente até desaparecer por completo. De toda forma, alguns pacientes podem precisar do suporte de um fonoaudiólogo para reduzir o tempo de evolução e melhorar a movimentação da região afetada.

Entretanto, conforme explicamos, não são todos os pacientes que terão essa paralisia temporária, pois a reação depende muito de como a intervenção foi realizada e da extensão da cirurgia, por isso varia de acordo com cada caso.

Cuidados pós-operatórios da cirurgia de glândulas salivares

Como acontece em qualquer outra cirurgia, após as intervenções nas glândulas salivares é preciso adotar alguns cuidados para que se reduzam as possíveis complicações, como inflamações ou infecções. Portanto, é fundamental seguir todas as recomendações do Cirurgião de Cabeça e Pescoço.

De toda forma, alguns cuidados básicos são importantes para garantir essa boa recuperação. Esse é o caso, por exemplo, de evitar esforços físicos nos primeiros dias e pelo tempo indicado pelo seu médico. Em geral, depois de 7-10 dias, o paciente pode retornar às atividades habituais, sendo permitido voltar a dirigir e fazer atividades físicas mais intensas após 15 dias.

Também é fundamental tomar corretamente as medicações conforme o receituário, e no que se refere à alimentação, não existem restrições específicas. É verdade que o paciente poderá ter um pouco de dificuldade para mastigar e engolir nos primeiros dias, portanto manter uma dieta mais leve e sem excessos pode ajudar nesse período de recuperação.

Outra medida importante é abster-se do uso de cigarro (o que traz outros grandes benefícios) e das bebidas alcoólicas, bem como evitar alimentos muito condimentados, quentes demais e qualquer outro que possa agredir o local operado.

O pós-operatório da cirurgia de glândulas salivares costuma ser muito tranquilo e pouco doloroso, apesar da possibilidade de se manifestarem inchaços e acúmulo de saliva, questões que são resolvidas com intervenções mínimas, como curativo e punções.

Antes de realizar a cirurgia, não se esqueça de conversar com seu Cirurgião de Cabeça e Pescoço e esclarecer todas as suas dúvidas para realizar o procedimento com mais confiança e segurança. Durante sua fase de recuperação, siga as recomendações propostas, pois dessa forma a cicatrização acontecerá de forma mais adequada e rápida, e em pouco tempo você estará de volta a sua rotina normal.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

4 Comentários

  1. Nanda

    Boa noite Dr Arthur eu preciso de ajuda, meu irmão está esperando a anos por uma cirurgia no rosto das glândulas salivares no hospital das clínicas em São Paulo e até agora nada você pode me ajudar 😔 moramos em Sorocaba!

    Responder
    • Equipe Dr Arthur Vicentini

      Olá, Nanda. Tudo bem?
      As cirurgias de glândulas salivares costumam ser realizadas por especialistas em Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Pelo SUS, existem grandes hospitais que fazem esse tipo de tratamento, mas a demanda costuma ser bastante grande e os casos com suspeita de malignidade acabam sendo priorizados.
      Pelo sistema privado, os prazos costumam ser bem menores, mas nem sempre são acessíveis a todos os pacientes.
      Se quiserem marcar uma consulta para conversarmos melhor, estou à disposição.

      Obrigado pela visita à nossa página e venha sempre conferir as novidades.

      Responder
  2. Maria Dolores Pereira Santana

    Boa tarde gostaria de saber qual o valor da cirurgia do tumor de parotida

    Responder
    • Equipe Dr Arthur Vicentini

      Olá, Maria Dolores. Tudo bem? Os valores de cirurgias são muito variáveis, e dependem de fatores como tipo da lesão, tamanho da mesma, extensão do procedimento proposto e muitos outros.
      O ideal é agendarmos uma consulta para avaliação completa e, com isso, podemos fazer um orçamento para sua cirurgia.

      Obrigado pela visita à nossa página e venha sempre conferir as novidades.

      Responder

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta