Início » Como é feita a traqueostomia e como é o pós-cirúrgico

Dr. Arthur Vicentini
Cv Lattes   GoogleMyCitations
CRM: 15.4086

Como é feita a traqueostomia e como é o pós-cirúrgico

As pessoas sempre perguntam em consultório como a traqueostomia é feita e quais os cuidados. Para explicar de forma mais anatômica, trouxe essas imagens para que você consiga entender melhor.

Estrutura do pescoço

Na imagem (0:29), a visualização é feita pela lateral, ou seja, olhando de lado.

Na parte de cima, é a região da faringe (hipofaringe). Logo atrás, tem o esôfago que é por onde a comida desce até chegar ao estômago e continuar o trato digestivo.

Há também a laringe, que é conhecida como caixa da voz e atua na parte da respiração e da voz.

Os traços brancos são anéis de cartilagem da traqueia.

Quando a traqueostomia é indicada?

A imagem mostra um pescoço com traqueostomo.

Algumas pessoas possuem obstruções na região alta da faringe e laringe, e acabam precisando de um caminho alternativo para o ar. Um desses caminhos é a traqueostomia, dispositivo usado no pescoço.

Como a traqueostomia é feita?

A traqueostomia pode ser de plástico ou de metal. A parte branca, ilustrada na imagem acima, é toda a estrutura que vai para perto do pulmão, para que o ar possa continuar passando entre o ambiente externo e a parte interna dos pulmões, realizando as trocas gasosas.

Depois que o procedimento é feito e a cânula é fixada, a visão que temos é essa da imagem.

A região externa, chamada de óstio externo, é a parte por onde o ar entra e sai. Ao redor do óstio, há como se fosse um PET que serve para aumentar a área de contato, não machucar a cânula e não mudar sua posição.

É importante que o paciente use uma proteção entre a parte plástica, principalmente quando a cânula é metálica e machuca ainda mais a pele, e pode ser feita com gases, assim como na imagem. Também existem outros dispositivos, como adesivos com espumas que evitam que a traqueostomia machuque a pele.

Além disso, a cânula precisa estar presa a um colar, que normalmente é um velcro acolchoado. Na região posterior do colar, há um espessamento para não machucar a nuca do paciente.

É preciso haver um conforto porque existem pessoas que usam a traqueostomia por um tempo mais prolongado e têm grandes lesões, às vezes até impossibilitando o uso da traqueostomia.

Cuidados com a traqueostomia

Além dos citados acima, existem outros cuidados que são importantes, por exemplo, o uso de:

  • filtros;
  • proteções de plástico para tomar banho;
  • umidificadores;
  • camisa de gola alta ou pedaço de tecido.

Esses cuidados são feitos para evitar que entrem impurezas, água ou mosquitos pela traqueostomia e chegue até os pulmões.

Se você conhece alguém que usa traqueostomia ou que vai usar, compartilhe o vídeo com eles.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 2 =

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta