Como funciona a laringoscopia?

A laringe é uma cavidade que fica situada entre a faringe e a traqueia. Ela comporta as pregas vocais, mais popularmente conhecidas como cordas vocais. Ou seja, é ali que a voz de uma pessoa se forma, quando o ar passa por essa cavidade e faz vibrar as cordas vocais.

Quando surgem sintomas como tosse persistente, rouquidão, dificuldade para engolir e formação de massa no pescoço, é necessário que a laringe, bem como as demais estruturas das vias aéreas superiores, seja devidamente examinada. Isso é feito por meio da laringoscopia.

Se você ainda não conhece muito bem esse procedimento, continue lendo para entender o que é esse exame, como ele funciona e em quais casos é necessário realizá-lo.

Como é feito o exame de laringoscopia? 

A laringoscopia é um exame realizado utilizando um aparelho chamado laringoscópio, constituído por uma câmera e uma fibra ótica para iluminação da região. Pode ser utilizado o endoscópio rígido, geralmente introduzido pela boca, ou um tubo mais fino e flexível com fibras óticas, introduzido através do nariz.

Em sua ponta, o endoscópio contém uma microcâmera para permitir ao médico visualizar o interior das vias aéreas. Isso pode ser feito de forma direta ou por meio de um monitor de vídeo, com a possibilidade de gravar as imagens, se for necessário.

Consiste em um procedimento simples que pode ser realizado em ambiente ambulatorial. No entanto, dependendo da sua indicação ou das necessidades do paciente, existe a possibilidade de ser realizado em ambiente hospitalar, sob sedação ou até anestesia geral.

No exame simples, não é necessário um grande preparo do paciente para realização. É feita a aplicação de um anestésico tópico, que também atua como lubrificante. A substância reduz o incômodo e a resistência para facilitar a introdução do endoscópio.

O paciente pode permanecer sentado enquanto o exame é realizado, sendo que ele dura geralmente 10 minutos ou até menos, mas com uma variação dependendo daquilo que precisa ser feito. No mesmo dia a pessoa pode retomar as suas atividades rotineiras.

Entretanto, alguns pacientes podem precisar ser submetidos a uma sedação. Nesse caso, a pessoa deve permanecer por algum tempo em observação e seguir as demais orientações do médico para evitar intercorrências.

Quais são as indicações da laringoscopia?

Conforme explicamos, por meio da laringoscopia é possível fazer a avaliação das vias aéreas superiores com o intuito de investigar as causas de sintomas que o paciente vem apresentando. Mas o procedimento também pode ser realizado, por exemplo, para retirada de algum corpo estranho das vias aéreas.

Sua indicação também envolve alguns procedimentos terapêuticos, como a retirada de pequenos nódulos e pólipos, a dilatação de estreitamentos e a cauterização de lesões vasculares. Além disso, tem um caráter de acompanhamento da evolução de cirurgias e algumas patologias.

Quando o paciente desenvolve tumores ou outras lesões que exigem uma investigação mais aprofundada, a laringoscopia pode ser realizada com o intuito de fazer a coleta de material para biópsia. Por isso, é um procedimento bastante amplo para diagnóstico e tratamento.

Em quais casos é necessário fazer a laringoscopia?

Conforme explicamos, a laringoscopia é recomendada quando há manifestação de alguns sintomas, tais como tosse, rouquidão e alterações progressivas ou recentes da voz, mas também pode ser realizada como uma medida preventiva.

É o que acontece, por exemplo, com profissionais que fazem uso excessivo da voz, como os locutores, professores, cantores e atores. Para eles, o procedimento visa investigar a saúde da laringe e identificar de forma precoce possíveis patologias que possam afetar a qualidade da sua voz.

Caso você perceba algum desses sintomas que relatamos, bem como qualquer outro incômodo na garganta ou mudanças no seu padrão de voz, procure um Cirurgião de Cabeça e Pescoço.

Assim, será feita uma investigação completa das suas condições clínicas e, se necessário, a realização da laringoscopia, para ter um diagnóstico preciso.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta