Ultrassom da tireoide: como é feito o procedimento?

Muitas vezes a investigação e o acompanhamento de pacientes são realizados por meio de exames de imagem. Uma das modalidades mais antigas e conhecidas é o uso do ultrassom, que utiliza ondas sonoras para formar essas imagens.

A ultrassonografia é um procedimento eficaz para o estudo de diversas estruturas do corpo humano. É solicitada, por exemplo, para mulheres gestantes, para análise dos rins e do fígado, entre outros. Mas você sabia que também podemos examinar as estruturas do pescoço, bem como a tireoide por meio do ultrassom?

Neste artigo explicaremos como é realizada a ultrassonografia da tireoide, se existe alguma contraindicação e em quais casos ela pode ou não ser indicada com sucesso. Continue lendo!

Como o ultrassom da tireoide é realizado?

A Ultrassonografia de tireoide é um exame não-invasivo e com mínima possibilidade de efeitos colaterais / complicações. Ao contrário de outros métodos (que possuem indicações específicas e grandes benefícios, quando utilizados corretamente), não é necessário uso de contraste ou radiação, além de ser um exame relativamente rápido. Além disso, não costuma exigir um preparo específico.

Geralmente, o procedimento é solicitado em casos de nódulos de tireoide para:

  • analisar a estrutura da glândula e do(s) nódulo(s);
  • avaliar características do nódulo, que possam sugerir malignidade; (fazer link para texto com características de malignidade no USG)
  • investigar estruturas adjacentes, tais como paratireoides e linfonodos;
  • fazer o acompanhamento para verificar a evolução do quadro.

Para a realização do exame, o paciente ficará deitado, algumas vezes com um travesseiro na altura dos ombros para estender o pescoço, facilitando o acesso à região cervical anterior, onde se localiza a tireoide.

Será aplicado um gel à base de água na região a ser examinada, então, o equipamento (transdutor) é deslizado lentamente sobre a pele para produzir as imagens. Elas são enviadas para um receptor, que decodifica as imagens e monta a imagem, vista pelo Radiologista no monitor onde serão analisadas.

O exame costuma ser rápido, totalmente indolor e não gera desconforto. Pode ser necessário mudar de posição algumas vezes para facilitar a avaliação de áreas específicas. De toda forma, o exame dura alguns minutos e você pode retomar as atividades naturalmente após a realização dele.

A ultrassonografia é um exame dinâmico e examinador-dependente, já que a captação de imagens e interpretação delas depende diretamente da qualidade do aparelho e da experiência do examinador. Por isso, procure sempre laboratórios onde você saiba da qualidade e reputação dos radiologistas.

Contraindicações e limitações do ultrassom da tireoide

Por ser um procedimento seguro e não invasivo, o ultrassom da tireoide apenas apresenta contraindicação caso a pessoa esteja com algum problema de pele, que impossibilite a aplicação do gel ou a utilização do transdutor.

Quanto às suas limitações, a qualidade do ultrassom melhorou muito ao passar dos anos, mas ainda não é possível, apenas por esse método, determinar com maior certeza a benignidade ou malignidade dos nódulos. Em casos selecionados, é necessário prosseguir investigação com outros métodos de imagem e até com punção aspirativa por agulha fina.

O ultrassom de tireoide é um exame de rotina?

Não há indicação de realizar exames de rotina para a população em geral, no que diz respeito à tireoide. Experiências de países como a Coréia do Sul mostraram que fazer ultrassom em toda a população aumenta a quantidade de diagnósticos de nódulos de tireoide, mas não reduz os riscos da doença, podendo até piorar a taxa de complicações e aumentar o número de cirurgias desnecessárias.

Entretanto, quem apresenta disfunções da tireoide, já tem um diagnóstico de nódulos ou um histórico familiar de problemas na glândula, pode se beneficiar de acompanhamento mais próximo. Assim, se seu Cirurgião de Cabeça e Pescoço julgar necessário, ele fará a solicitação dos exames periodicamente.

Em caso de dúvida, o ideal é conversar com o seu médico de confiança. Mas se você precisar fazer o ultrassom de tireoide, não precisa se preocupar. Afinal, como explicamos, é um exame muito simples e que não traz nenhum tipo de risco ou complicação.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

POSTS RELACIONADOS

Cirurgia de Cabeça e Pescoço

Caros pacientes, em função da Pandemia do Coronavírus (Covid-19), o Conselho federal de Medicina (CFM) autorizou o uso de tecnologia para consultas à distância (Telemedicina), enquanto durar este momento de isolamento social.

Por esta razão, gostaria de informar que realizaremos, temporariamente, atendimentos por plataformas digitais (Skype ou similares) aos pacientes.

Os agendamentos poderão ser feitos normalmente pelo sistema, por telefone ou pelo Whatsapp.

Em caso de necessidade, agendaremos consultas presenciais.

Saiba mais, clicando aqui.

Telefone: (11) 3230-2987

× Agende sua Consulta