Início » Sintomas de câncer na tireoide: descubra quais são e como é feito o diagnóstico

Foto do Dr. Arthur Vicentini.Dr. Arthur Vicentini
Cv Lattes
GoogleMyCitations
CRM: 15.4086

Sintomas de câncer na tireoide: descubra quais são e como é feito o diagnóstico

A maioria dos casos de câncer de tireoide tem apresentação assintomática, ou seja, os pacientes não têm qualquer sintoma relacionado ao mesmo. Quando surgem sintomas, os principais deles são a presença de um caroço ou inchaço no pescoço, mas podem se manifestar de outras maneiras. Pode ocorrer rouquidão e dificuldade para engolir, dor e surgimento de outros nódulos no pescoço, fora da região da tireoide.
A imagem mostra uma mulher com a mão no pescoço.

Não são raros os casos de nódulos na tireoide. Eles podem acometer pessoas de ambos os sexos, e na maioria das vezes são benignos, não trazendo repercussões à vida das pessoas. Porém, alguns desses nódulos podem ter etiologia maligna e devem ser avaliados com maior cuidado e tratado da forma correta.

Segundo o INCA, esse tipo de câncer afeta três vezes mais as mulheres, mas não pode ser descartado sumariamente caso o paciente seja homem.

A resposta ao tratamento costuma ser muito boa, principalmente quando lidamos com tumores pequenos, em estágios iniciais. Por isso, o diagnóstico e tratamento adequados são importantes para o resultado final. Neste artigo você vai aprender como identificar essa doença. Continue lendo e confira:

1. Os sintomas do câncer de tireoide

2. Métodos de diagnóstico do câncer de tireoide

Os sintomas do câncer de tireoide

Nem todo tipo de câncer apresenta sintomas quando começa a se desenvolver. Em um grande número de casos, essa doença é silenciosa quando está em seus estágios iniciais, e isso também acontece com o câncer de tireoide.

A maioria dos pacientes que desenvolvem esse tipo de tumor maligno tem apresentação assintomática. No entanto, essa doença emite os seus sinais, e é importante ficar atento a eles para buscar tratamento médico precoce.

O principal sintoma do câncer de tireoide é a formação de um nódulo ou caroço na região do pescoço. Ele pode ser percebido na região anterior do pescoço, logo abaixo do “pomo de adão” (cartilagem tireoide, que compõe a laringe), também conhecido como “gogó”. Este caroço pode apresentar crescimento acelerado, sendo essa uma das características que o diferencia dos nódulos benignos.

Outros sintomas que também podem ser percebidos em casos de câncer de tireoide são:

  • rouquidão persistente e/ou alterações da voz;
  • inchaço no pescoço;
  • dor no pescoço;
  • mudança do padrão de crescimento de um nódulo já em seguimento
  • tosse constante;
  • dificuldade para engolir;
  • problemas para respirar.

É importante salientar que outras condições clínicas também podem desencadear esse tipo de sintoma. Inclusive, se um nódulo benigno estiver muito grande existe o risco de provocar os mesmos incômodos. Por isso, a melhor prática é buscar a ajuda de um Cirurgião de Cabeça e Pescoço para diferenciar entre as doenças e procurar o diagnóstico e tratamento adequados.

Métodos de diagnóstico do câncer de tireoide

A suspeita diagnóstica de câncer de tireoide pode ser obtida por meio do exame clínico do paciente. O relato de possíveis sintomas, bem como a palpação da glândula, ajudam o Cirurgião de Cabeça e Pescoço a ter algumas suspeitas e solicitar exames complementares para obter um diagnóstico preciso.

O especialista poderá solicitar uma ultrassonografia da glândula tireoide para obter imagens do nódulo. Quando indicado, também é possível solicitar outros exames para prosseguir a investigação, principalmente no sentido de determinar as características das células que compõem o nódulo, o que chamamos de avaliação citológica, que é adquirida através da punção aspirativa por agulha fina (PAAF).

A biópsia é um método de diagnóstico muito efetivo porque apresenta diversas características do tumor, indicando o tipo de câncer que se desenvolveu. Afinal, existem diferentes tipos de câncer de tireoide, sendo os mais conhecidos os carcinomas papilíferos, foliculares, medulares ou anaplásicos.

Os dois primeiros são os tipos mais comuns e que apresentam um grau de agressividade menor. Já o medular e o anaplásico são mais agressivos e oferecem um risco maior para a vida do paciente, embora sejam formas mais raras da doença.

Caso você perceba alterações na região do pescoço e sintomas semelhantes aos que descrevemos aqui, consulte imediatamente um Cirurgião de Cabeça e Pescoço.

Se estiver em grupo de risco em função de casos na família, por já ter um nódulo tireoideano ou ter realizar tratamentos com radiação na cabeça, tórax e pescoço, mantenha um acompanhamento ainda mais rigoroso.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco + doze =

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta