Dr. Arthur Vicentini

Nódulo de tireoide: benigno X maligno

Atualizado em 04/08/2021
Tempo de leitura: 2 min.

Os nódulos de tireoide são muito frequentes em nossa população, sendo uma das doenças mais comuns que podemos encontrar entre nossos pacientes.

Diagnóstico

Quando encontrados nódulos na tireoide, o exame de escolha, que é feito com mais frequência é o ultrassom. No ultrassom, os nódulos de tireoide possuem algumas características relevantes para determinarmos quais são os mais sugestivos de serem benignos ou malignos.

Características de malignidade

Algumas das características que mais sugerem a possibilidade de os nódulos tireoideanos serem malignos, ao ultrassom, são os nódulos mais escurecidos, chamados de hipoecogênicos, altura maior que largura.

Nós conseguimos determinar as medidas desses nódulos. Aqueles mais altos do que largos possuem um risco aumentado. Além disso, nódulos que têm as bordas irregulares, que não são muito bem delimitadas, sem um halo como se fosse um anel de proteção, também são nódulos que chamam a nossa atenção.

Por fim, a presença de microcalcificações, que são pontinhos brancos dentro do nódulo, é indicativo bastante importante de malignidade no ultrassom de tireoide.

Classificação de TIRADS

A cada um desses fatores, damos uma determinada quantidade de pontos, e a soma desses pontos é computada, com base no que chamamos de Classificação de TIRADS. Essa classificação determina o risco de malignidade e quais desses nódulos precisam ser puncionados, baseado na combinação da soma da pontuação e do tamanho do nódulo.

PERGUNTAS FREQUENTES - Nódulo de Tireoide

A maioria dos nódulos tireoideanos é benigna e não traz repercussões ao paciente. Os maiores perigos estão relacionados ao aumento de tamanho desses nódulos, causando sintomas compressivos, como disfagia (dificuldade de engolir / engasgos), disfonia (mudança da voz) e dispneia (dificuldade de respirar). Nódulos malignos, mesmo quando pequenos, podem trazer essas alterações quando invadem estruturas próximas à tireoide.

Não existe um limite que defina quando os nódulos da tireoide serão considerados grandes ou pequenos. Na prática clínica, nódulos que passem de 2,0cm ou quando surgem múltiplos nódulos que podem se somar em tamanho, podemos dizer que estamos lidando com nódulos grandes.

A maioria absoluta dos nódulos tireoideanos é assintomática. Apenas nódulos com aumento mais pronunciado de tamanho é que costumam trazer sintomas compressivos, como disfagia (dificuldade de engolir / engasgos), disfonia (mudança da voz) e dispneia (dificuldade de respirar). Nódulos malignos, mesmo quando pequenos, podem trazer essas alterações quando invadem estruturas próximas à tireoide.

A maioria dos nódulos tireoideanos é benigna. Os casos que levantam mais suspeitas são aqueles em que há crescimento rápido, dor, mudanças da voz e sinais de invasão de estruturas da região, como a própria pele. Pelos exames de imagem, podemos citar alterações de ultrassom como microcalcificações, irregularidade de bordas do nódulo, invasão de estruturas adjacentes e hipoecogenicidade (quando o nódulo é mais escuro que o restante do parênquima)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 1 =

 | 21 / 09 / 21
Você sabe o que pode deixar a tireoide inflamada? Veja quais são as causas de diferentes tipos de tireoidite e os sintomas que eles provocam.
Ler Mais
 | 13 / 08 / 21
A glândula tireoide produz diversos hormônios, podendo apresentar alterações que chamamos de hipertireoidismo, hipotireoidismo e bócio. Veja como tratá-la.
Ler Mais
1 2 3 25
Atenção: O site  www.arthurvicentini.com.br  visa melhorar o acesso aos pacientes à informação de qualidade sobre sua saúde, porém nada substitui uma avaliação completa, durante consulta médica e diagnóstico adequados.
Direitos Reservados 2021 Dr. Arthur Vicentini – CRM 154086 | Desenvolvido por Surya MKT