Dr. Arthur Vicentini

Doenças das paratireoides: quais são e como tratar?

Atualizado em 28/07/2021
Tempo de leitura: 4 min.
Paratireoidedr Arthur Vicentini Crm 154086 Fb
Doenças Das Paratireoides: Quais São E Como Tratar? 2

Muito se fala a respeito da glândula tireóide, responsável pela produção de hormônios que regulam o metabolismo de nosso corpo. No entanto, você sabia que existem outras glândulas próximas a ela, com grande importância em nosso organismo? Elas são chamadas de glândulas paratireoides, pela proximidade e relação com a tireoide. Costumam ser 4 em cada indivíduo, mas podem variar de duas a nove. Ficam localizadas na região anterior do pescoço, logo atrás da tireóide. Sua função principal é controlar os níveis de cálcio no sangue e em outros órgãos.

Essas glândulas têm uma importância muito grande para a manutenção da saúde e o equilíbrio dos nutrientes no organismo. Porém, elas também podem ser acometidas por doenças ou sofrer alterações como consequência de disfunções de outros sistemas.

Preparamos este artigo para falar sobre as patologias que afetam as glândulas paratireoides, a fim de que você conheça melhor esses problemas e saiba como identificá-los. Continue lendo e aprendendo a cuidar ainda melhor da sua saúde!

A função das glândulas paratireoides

As glândulas paratireoides fazem parte do sistema endócrino, produzindo o paratormônio (também conhecido como PTH). Sua função é controlar os níveis de cálcio no organismo para manter a estabilidade dele, ou seja, evitar que eleve ou reduza demais.

Assim, quando os níveis de cálcio diminuem, por exemplo, o PTH aumenta para reter uma porção do cálcio que seria excretado pelos rins. Este mecanismo aumenta a excreção de fósforo na urina. O PTH também age nos ossos, retirando cálcio de sua composição e fazendo com que o mesmo se eleve no sangue.

Há, ainda, aumento de absorção de cálcio da dieta em nosso intestino, estimulado pelo PTH circulante.

Por isso, alterações do funcionamento das paratireoides podem levar a desequilíbrios dos níveis de cálcio por problemas na absorção e retenção desse nutriente.

Doenças da paratireoide

As paratireoides podem ser acometidas por disfunções relacionadas à produção hormônios, que podem ser primárias da própria glândula ou reagindo a alterações de outros órgãos, levando a efeitos secundários.

Vejamos, em mais detalhes, alguns casos:

Hipoparatireoidismo

Esse problema se caracteriza pela queda dos níveis de PTH no organismo. Geralmente ocorre em função de complicações pós-operatórias das cirurgias cervicais, sendo a mais comum a retirada da glândula tireóide (Tireoidectomia). Quando realizadas por cirurgiões com formação adequada e com experiência em cirurgias tireoideanas, os riscos de complicações são menores, mas pode ocorrer a remoção acidental das paratireóides ou a interrupção do fluxo sanguíneo para essas glândulas.

Esse problema pode se manifestar como transitório (maioria absoluta dos casos) ou de maneira definitiva.

O tratamento do hipoparatireoidismo é feito por meio da reposição de cálcio e vitamina D. Podem ser receitados medicamentos diuréticos que contribuem com a retenção do cálcio. Em casos mais específicos, existe a possibilidade de utilização do PTH injetável, mas esta é uma medicação ainda com uso restrito em nosso meio.

Hiperparatireoidismo

Nesses casos, o racional é contrário ao descrito no hipoparatireoidismo.

O hiperparatireoidismo se manifesta como consequência da produção exacerbada do PTH que, em longo prazo e/ou em situações mais avançadas, desencadeia surgimento de lesões de órgãos-alvo, tais como osteoporose e deformidades ósseas, cálculos urinários, calcificação de vasos sanguíneos, alterações psiquiátricas, gastrointestinais e dores pelo corpo.

O hiperparatireoidismo se divide em primário, secundário e terciário, conforme veremos a seguir.

O hiperparatireoidismo primário, como o nome já diz, se origina na própria paratireóide, ou seja, é decorrente do aumento da produção de hormônios sem outra causa externa de estímulo. A causa mais frequente é o adenoma único, tumor benigno em que células de uma glândula passam a se multiplicar e produzir mais hormônios do que deveriam, perdendo o mecanismo de controle decorrente dos níveis de cálcio.

No caso dos hiperparatireoidismos secundários, eles ocorrem em consequência de outras alterações do organismo, tais como perda de cálcio pela urina em pacientes com insuficiência renal, falta de vitamina D, doenças inflamatórias intestinais e uso de determinadas medicações, por exemplo.

Já o hiperparatireoidismo terciário se dá quando o mecanismo do hiperparatireoidismo secundário é revertido, sem que os efeitos sobre as glândulas paratireoides cessem. Isso ocorre, por exemplo, com pacientes que tinham insuficiência renal grave e, após passarem por um transplante de rim, continuam com alterações do PTH e do cálcio, bem como de outras substâncias do sangue.

Tratamento

A maioria dos casos de hiperparatireoidismo primário é assintomática, sendo o tratamento indicado para pacientes com lesões de órgãos-alvo instaladas ou com alto risco de acontecerem.

O tratamento mais indicado para o hiperparatireoidismo primário é a cirurgia para retirada daquela(s) glândula(s) que está(ão) produzindo hormônio em excesso.

Quanto ao hiperparatireoidismo secundário, busca-se reverter o mecanismo de desenvolvimento da doença, tais como suspensão de medicamentos que possam causá-la, reposição de vitamina D, controle da insuficiência renal ou uso de medicações para reduzir a intensidade e velocidade de evolução da doença. Em casos selecionados e quando indicado por equipes multidisciplinares, pode ser realizada a cirurgia para retirada de todas as glândulas paratireoides com reimplante de parte de uma delas ou de quase todo o tecido paratireoideano presente no pescoço. Discutiremos mais a fundo as técnicas de paratireoidectomia em outro artigo.

Quanto ao hiperparatireoidismo terciário, o tratamento segue os mesmo princípios da cirurgia para o hiperparatireoidismo secundário, tendo em vista que o mecanismo de desenvolvimento da doença foi revertido, sem reversão da doença das paratireoides.

Conforme você viu, as glândulas paratireoides têm uma grande importância para o equilíbrio da saúde, uma vez que o cálcio se relaciona com muitas das funções vitais do nosso organismo (sistema osteomuscular, sistema circulatório, sistema nervoso, para citar alguns). Sendo assim, em caso de dúvidas ou quando diagnosticadas alterações das paratireoides e/ou cálcio, procure o Cirurgião de Cabeça e Pescoço para mais informações e tratamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 3 =

 | 19 / 08 / 21
O hiperparatireoidismo acontece quando a paratireoide passa por um aumento de hormônio. Veja como tratá-lo.
Ler Mais
 | 25 / 03 / 21
O hipoparatireoidismo geralmente ocorre depois de uma cirurgia da região do pescoço. Entenda por que isso acontece e como tratar.
Ler Mais
Atenção: O site  www.arthurvicentini.com.br  visa melhorar o acesso aos pacientes à informação de qualidade sobre sua saúde, porém nada substitui uma avaliação completa, durante consulta médica e diagnóstico adequados.
Direitos Reservados 2021 Dr. Arthur Vicentini – CRM 154086 | Desenvolvido por Surya MKT