Início » Como é feito o autoexame da Tireoide e qual a sua importância?

Foto do Dr. Arthur Vicentini.Dr. Arthur Vicentini
Cv Lattes
GoogleMyCitations
CRM: 15.4086

Como é feito o autoexame da Tireoide e qual a sua importância?

A imagem mostra uma mulher, do nariz ao ombro, com as mãos no pescoço e uma ilustração da tireoide entre as mãos.

Todos devemos estar sempre atentos à nossa saúde. O ideal é que todas as pessoas, independentemente da sua condição clínica ou faixa etária, tenham acompanhamento médico periódico. Ele é muito importante para promover medidas de saúde e, caso haja alguma alteração, que ela seja detectada de forma precoce e, com o tratamento adequado, se evitem complicações e sequelas maiores.

Conhecer o próprio corpo e identificar mudanças nele é fundamental para contribuir com a prevenção de diversas doenças. As técnicas de autoexame podem ajudar muito nesse sentido.

No que se refere à Tireoide, também pode ser feito o autoexame, para identificar algumas alterações. Ele ajuda a avaliar aspectos da glândula e verificar se existe algum tipo de alteração nela. Porém, nem todas as pessoas conhecem essa técnica ou aplicam, mas neste artigo explicaremos como o autoexame é feito e a importância que ele tem. Continue lendo para entender!

O que é o autoexame da Tireoide?

As técnicas de autoexame são aquelas em que a própria pessoa examina uma parte do seu corpo, com ferramentas simples, dentro de casa. As mulheres, por exemplo, são incentivadas a realizarem o autoexame das mamas para identificar possíveis alterações ainda no começo e fazer a prevenção do câncer de mama, um dos mais frequentes entre as mulheres.

Existe um autoexame que realizamos na Glândula da Tireoide. Ele é feito em casa, de frente para um espelho, não oferece qualquer tipo de risco e pode ser realizado quantas vezes forem necessárias.

Observamos se existe alguma alteração no seu tamanho, a presença de nódulos ou algum incômodo na região do pescoço. A própria pessoa pode fazer esse acompanhamento e buscar ajuda médica se perceber algo diferente.

Como fazer o autoexame da tireoide?

Como explicamos, o autoexame da tireoide é feito em casa sem a necessidade de qualquer ajuda. Não é preciso nenhuma preparação especial ou período específico. Você apenas vai precisar de um espelho em um local bem iluminado e um copo de água.

O primeiro passo é conhecer, de forma simplificada, a anatomia do pescoço e a posição das estruturas nele. A Glândula Tireoide está localizada na região anterior do pescoço, no terço médio do mesmo. Um importante ponto de reparo para localizar mais corretamente a Glândula Tireoide é a cartilagem que leva o mesmo nome. Nos homens, ela é mais proeminente, formando o conhecido “Pomo de Adão”. A Glândula tireoide se localiza logo abaixo desta cartilagem, sendo que as porções laterais (conhecidas como lobos) se projetam por aproximadamente 2cm para cada lado da traqueia (canal de passagem do ar para os pulmões, bem no centro do pescoço.

Para o autoexame, posicione o espelho de modo que você consiga visualizar sem dificuldade a região cervical, identificando a região logo abaixo do pomo de Adão.

Agora, basta colocar um pouco de água na boca, inclinar levemente a cabeça para trás e engolir lentamente.
Preste atenção nos movimentos da Glândula Tireoide e veja se há um aumento de volume nessa área, a presença de um ou mais caroços (nódulos) ou se existe diferença nas formas ou no tamanho de um lado e de outro do pescoço.

Também fique atento a possíveis incômodos (dor, engasgos, sensação de “bola na garganta”) que tenha sentido durante o exame. Algumas pessoas sentem dificuldade para engolir ou desconfortos. Esses também podem ser indícios de alguma alteração na glândula.

Se da primeira vez não ficou claro o resultado você pode repetir o processo, tomando cuidado para não fazer muita força e se machucar. Basta mais uma vez tomar a água e analisar os movimentos do pescoço enquanto você engole.

Caso haja sinais de alteração, é importante procurar um Cirurgião de Cabeça e Pescoço para que se prossiga na investigação.

Por que o autoexame da Tireoide é importante?

Nódulos na glândula tireoide são uma condição comum, em especial entre as mulheres a partir dos 35 anos de idade, mas podem surgir em pessoas de ambos os gêneros e de qualquer faixa etária.

Na maioria das vezes os nódulos tireoidianos são benignos, não oferecem riscos para a saúde ou a vida da pessoa. Entretanto, existe o risco de essas formações serem malignas, ou seja, câncer de tireoide. Também há casos em que o aumento da glândula causa sintomas compressivos, atrapalhando funções como alimentação, respiração e fala.

A maior preocupação com o câncer de tireoide é ser uma doença silenciosa. A maior parte das pessoas que têm esse problema não percebe qualquer sintoma, nas fases iniciais. Isso passa a acontecer apenas depois de o tumor estar em um estágio mais avançado, tomando um volume maior e gerando outros problemas.

O autoexame da tireoide ajuda a identificar esses nódulos quando eles ainda estão no começo, ou mesmo pequenas alterações na glândula que podem evoluir para quadros como esse. Ele também diagnostica nódulos benignos para que sejam devidamente acompanhados em sua evolução.

Sendo assim, esse procedimento simples pode auxiliar no acompanhamento da saúde da Tireoide. O ideal é que seja realizado por todas as pessoas, mas principalmente por quem já tem problemas como hipertireoidismo ou hipotireoidismo, e para aqueles com histórico familiar de nódulos tireoidianos.

O autoexame da Tireoide é rápido, simples, indolor e eficaz. Oferece um excelente suporte para identificar alterações na glândula de forma precoce, por isso, não deixe de realizar, e sempre consulte um Cirurgião de Cabeça e Pescoço caso perceba alterações ou tenha dúvidas.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =

POSTS RELACIONADOS

× Agende sua Consulta