Dr. Arthur Vicentini

Linfomas: O que são? Como tratá-los?

Atualizado em 02/02/2022
Tempo de leitura: 3 min.

O linfoma é um tipo de câncer que atinge o sistema linfático e que pode se disseminar pelo organismo de forma desordenada. Ocorre com mais frequência em homens e está associado a problemas como imunodeficiência, doenças autoimunes, imunossupressão e infecções provocadas por vírus e bactérias.

Linfomas O Que Sao Como Trata Los Dr Arthur Vicentini Bg
Linfomas: O Que São? Como Tratá-Los? 2

Você já ouviu falar que uma pessoa desenvolveu câncer no sangue? Esse termo costuma ser utilizado para descrever quadros como o linfoma, um tipo de câncer que atinge o sistema linfático. 

Essa doença pode atingir pessoas de qualquer idade, sendo o tipo mais comum de linfoma que ocorre na infância. Tem a característica de se espalhar pelo organismo de uma forma desordenada, por isso, é fundamental fazer o diagnóstico e iniciar o tratamento o quanto antes.

Neste artigo explicaremos exatamente o que é um linfoma, suas causas, sintomas e formas de tratamento. Continue lendo para aprender um pouco mais sobre o assunto.

O que é um Linfoma?

O linfoma é um tipo de câncer que, assim como a leucemia, afeta o sangue. Nesse caso, a doença ocorre no sistema linfático, que faz parte do sistema imunológico e do circulatório. Não se trata de apenas uma doença, mas de um grupo com diferentes doenças, que recebem classificação conforme o tipo de linfoma e o seu estágio. 

Os linfomas não-Hodgkin podem ser divididos em três grandes grupos conforme as células atingidas por eles. Assim, temos os linfomas de células B, linfomas de células T e linfomas de células NK. Os tipos mais comuns são aqueles pertencentes aos linfomas de células B, o que corresponde a mais de 80% dos casos.

Além disso, é possível classificar conforme a rapidez com que a doença se dissemina pelo corpo. Portanto, temos os linfomas de baixo grau, os linfomas de grau intermediário e os linfomas de alto grau.

Existem também os linfomas classificados como Hodgkin. Nesse caso, a doença se espalha de um grupo de linfonodos para o outro de uma maneira ordenada. Já no caso do linfoma não-Hodgkin, como explicamos, a doença pode iniciar em qualquer região do corpo e essa disseminação acontece de uma forma desordenada.

Quais são as Causas desse Linfoma?

Como em outros tipos de câncer, a causa exata do linfoma não-Hodgkin ainda não foi definida. Contudo, já se sabe que a doença está associada a alguns fatores de risco, condições que favorecem o desenvolvimento do problema. 

O linfoma não-Hodgkin costuma manifestar de forma mais frequente em indivíduos do sexo masculino, em decorrência de infecções por vírus e bactérias (como HIV, Epstein-Barr e Helicobacter pylori); também devido a quadros de imunodeficiência ou imunossupressão, inclusive decorrentes de doenças autoimunes como a doença celíaca e o lúpus eritematoso.

Quais são os Sintomas de Linfoma?

Os sintomas de linfoma podem variar bastante de uma pessoa para outra em decorrência da resposta do seu organismo, do tipo da doença e também da sua gravidade. Essas manifestações podem incluir:

  • Febre;
  • Cansaço;
  • Coceira;
  • Tosse;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor abdominal;
  • Dificuldade para respirar;
  • Aumento dos linfonodos;
  • Sudorese noturna intensa;
  • Erupções cutâneas;
  • Perda de peso;
  • Dor de cabeça;
  • Dificuldade de concentração.

As formas mais agressivas do linfomas provocam ainda outros sintomas, sendo:

  • Confusão mental;
  • Dor no pescoço, abdômen ou nos braços;
  • Fraqueza nas pernas e/ou nos braços.

Como os Linfomas são Tratados?

O principal tratamento para o linfoma é a quimioterapia. Ela é um padrão para essa doença por tratar o organismo de uma forma completa. Porém, o protocolo adotado pode variar dependendo do estágio da doença, do tipo de linfoma, dos sintomas manifestados pelo paciente e também do seu estado de saúde geral e características pessoais, como a idade.

Além da quimioterapia, é possível utilizar a radioterapia como forma complementar. Estão disponíveis, ainda, as terapias-alvo, que atuam bloqueando os mecanismos de reprodução e disseminação das células doentes; e temos a opção de transplante de células-tronco (transplante de medula), para pacientes selecionados.

O diagnóstico dos linfomas costuma ser feito através de biópsias incisionais ou excisionais, realizadas por um Cirurgião. Já o tratamento de pacientes com linfoma é feito pelos Hematologistas.

O ideal, como em outros tipos de câncer, é que o linfoma seja tratado de uma forma precoce, quando a doença ainda está em estágios iniciais. Portanto, na manifestação de qualquer sintoma, é fundamental buscar a ajuda de um médico. O acompanhamento constante do especialista é indispensável para monitorar a saúde e identificar alterações logo no começo.

Dr Arthur Vicentini | Dr. Arthur Vicentini CRM 154.086
Dr. Arthur Vicentini da Costa Luiz
CRM-SP 15.4086
Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço.
+ Saiba mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro + 14 =

 | 10 / 11 / 21
A formação de um “caroço na garganta” pode ter origem em diversos fatores. Entenda quais são as condições clínicas que podem levar a esse sintoma.
Ler Mais
 | 26 / 08 / 21
Nessa fase de pandemia que nós estamos vivendo, cada vez mais está sendo discutido sobre alterações respiratórias, e com isso, também sobre a necessidade da traqueostomia. Venha conferir!
Ler Mais
1 2 3 5
Atenção: O site  www.arthurvicentini.com.br  visa melhorar o acesso aos pacientes à informação de qualidade sobre sua saúde, porém nada substitui uma avaliação completa, durante consulta médica e diagnóstico adequados.

Direitos Reservados 2022 | Dr. Arthur Vicentini – CRM 154086 | Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Site atualizado às 15:12 | 02/02/2022
magnifiercross