Início » Câncer da Pele e Couro Cabeludo

Foto do Dr. Arthur Vicentini.Dr. Arthur Vicentini
Cv Lattes
GoogleMyCitations
CRM: 15.4086

Câncer da Pele e Couro Cabeludo

O verão é a estação mais quente do ano, e nesta época os raios solares são muito mais fortes, em boa parte do país. Muitas pessoas não têm o costume de se proteger do sol. Outras utilizam bronzeadores e até fórmulas caseiras para alcançar o desejado tom de pele bronzeado.  

Mas, o que elas não sabem é que nesses períodos de maior incidência de raios solares, a radiação, nociva às células da pele, pode ter efeitos devastadores.

Para saber mais informações sobre os perigos dos raios solares para a pele, continue nos acompanhando!

 

TIPOS DE CÂNCER DE PELE

Dentre os tipos mais frequentes de câncer de pele, está o carcinoma basocelular. Ele acontece quando as células da camada basal da epiderme sofrem mutações, causadas pela radiação ultravioleta, e passam a se dividir descontroladamente. Este é o tipo de tumor da pele mais comum, representando cerca de 70% dos casos existentes.

Existem, ainda, outros subtipos de câncer de pele que têm como fator de risco o excesso de exposição solar, dentre os quais se destacam os carcinomas espinocelulares e os melanomas malignos.

 

COMO OCORRE O CÂNCER NO COURO CABELUDO?

Sabe-se que os tumores de pele são os mais incidentes em nossa população, superando todos os demais tipos de câncer. Mas, e o couro cabeludo? Essa área é muito sensível e, na maioria das vezes, negligenciada. Existem ocorrências de câncer da pele no couro cabeludo e, por isso, devemos sim proteger bem a região, tanto de forma mecânica (com bonés, chapéus e outras peças do vestuário), quanto com protetores solares químicos (existem protetores específicos para serem passados no couro cabeludo, tenha você cabelo ou não).

 

PRINCIPAIS SINTOMAS

Os sinais do câncer no couro cabeludo são lesões inicialmente pequenas, endurecidas, com rápido crescimento e, em alguns casos, que podem se tornar feridas com sangramento recorrente e de difícil cicatrização. Para um diagnóstico preciso, é importante que a lesão seja examinada pelo médico especialista.

 

DIAGNÓSTICO

O auto-exame cuidadoso da pele e do couro cabeludo, seja por você mesmo ou por alguém que possa ajudar, é bastante recomendado para uma primeira avaliação, e também para a identificação de possíveis lesões suspeitas. Fique atento a manchas e pintas, principalmente as que mudam de cor ao longo do tempo, formato, tamanho, e nas feridas que demoram a cicatrizar.

 

COMO PREVENIR? 

Existem diversos tratamentos para o câncer de pele e do couro cabeludo, sendo uma das principais ferramentas a ressecção cirúrgica.

Existem produtos específicos para proteção solar do cabelo, e você deve optar por aqueles com o FPS (Fator de Proteção Solar) superior a 30. Para os calvos, essa proteção deve ser redobrada. As barreiras mecânicas são também de grande importância, sendo o uso de bonés ou chapéus recomendados para os períodos mais críticos.

Se tiver alguma dúvida ou notar algum sintoma suspeito, procure imediatamente um Dermatologista ou Cirurgião de Cabeça e Pescoço.

dr arthur vicentini assinatura

Por Dr. Arthur Vicentini
da Costa Luiz.

CRM-SP 154086

Médico graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), com residência médica em Cirurgia Geral e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. Atua como membro efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço e médico colaborador da da Disciplina de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP).

faixa-dr-arthur-300x2-300x2

Veja mais posts relacionados:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =

× Agende sua Consulta